Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Amazing days

"A vida é fascinante, só é preciso olha-la através das lentes corretas" (Alexandre Dumas)

Amazing days

"A vida é fascinante, só é preciso olha-la através das lentes corretas" (Alexandre Dumas)

14.Mai.18

Igualdade de género: realidade ou utopia

Muito se fala sobre conciliação entre a vida familiar e profissional. Há inclusive orientações do Governo para que as organizações implementem planos para a igualdade e incluam medidas que promovam a conciliação entre a vida familiar e profissional e o empoderamento das mulheres, atribuindo-lhes “cotas” para cargos de direção de topo. É inclusivamente um objetivo do desenvolvimento sustentável da ONU (ODS5).

igualdade.png

Mas na verdade, no quotidiano, o tema não é assim tão pacífico. As administrações continuam a querer ter homens entre os pares e só há mulheres porque a isso são obrigados; em casa, é preciso ter Homens (com H maiúsculo mesmo) para aceitarem mulheres com cargos mais elevados e, eventualmente também, maiores salários. Mas não acaba aqui.

Está provado que as mulheres trabalham mais horas do que os homens pois, para além de todas as horas de trabalho remuneradas, têm ainda que assegurar as compras, ajudar os filhos nos trabalhos de casa e estudo e todas as outras atividades domésticas que teimam em não desaparecer como por magia. Dividir tarefas é ainda em muitos casos, tabu. O marido ajuda! Mas dividir tarefas? Nem pensar!

Ora, para que o objetivo inicial seja atingido e haja efetivamente igualdade de direitos entre homens e mulheres é preciso que haja uma mudança cultural. E sendo verdade que já se vê alguma mudança, cabe-nos a nós mães assegurar que educamos os nossos filhos da forma mais correta para que se habituem a realizar as várias tarefas tradicionalmente atribuídas às mulheres.

Mas na verdade, a verdadeira igualdade só será conseguida quando os Homens não se incomodarem em assegurar todas as rotinas, estejam habituados a partilhar tarefas e responsabilidades, quando garantirem todo o suporte que durante décadas as mulheres deram para que os homens pudessem singrar e ocupar lugares de topo.