Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Amazing days

"A vida é fascinante, só é preciso olha-la através das lentes corretas" (Alexandre Dumas)

Amazing days

"A vida é fascinante, só é preciso olha-la através das lentes corretas" (Alexandre Dumas)

Qui | 18.10.18

No dia em que partiste eu renasci

Beatriz LA

Vivemos distantes, mais distantes do que se imagina possível viver quando se habita na mesma casa. Mas era exatamente isso que fazíamos. Partilhávamos o mesmo teto. Apenas e só isso.

Passei muitos anos sem entender a verdadeira razão. Sei que te desafiava mas era uma adolescente que apenas procurava a sua identidade, revoltada e insatisfeita com o que tinha e não tinha, porque na adolescência não se precisa de motivo. A adolescência passou mas o sentimento amargo ficou porque fomos ambos demasiado orgulhosos para o dissolvermos nas nossas vidas.

Hoje sou mãe e sei como é difícil esta coisa da parentalidade. Não há cursos nem livros de instruções que nos valham e os filhos são todos diferentes. É preciso dar-lhes espaço, deixa-los voar e estar lá para amparar a queda. Exigir, motivar, mas também reconhecer o esforço e mostrar satisfação e orgulho quando assim for, sem vergonha. Tal não nos fará perder autoridade.

Tu atiraste-me é certo, mas nunca estavas para amparar a queda. Direi até que os papéis a certo ponto se inverteram e fui eu quem teve que amparar as tuas.

"Desenrasca-te!" Ouvia com muita frequência. E quando ganhei autonomia, porque a isso me obrigaste, reagiste com desagrado, porque achavas que perdias o controlo. Não querias autonomia mas também não querias que te chateasse; não querias fardos.

Hoje escrevo aquilo que nunca te consegui dizer e que no dia em que partiste chorei. Sem saber bem se chorava porque partias se por nunca te ter tido aquilo que sentia.

Sei agora que há dores que não adianta arrastar. Chega o dia em que é preciso esquecer o passado para agarrar o futuro e esse dia chegou.

Prefiro acreditar que foste o melhor pai que soubeste ser, independentemente de tudo o que me faltou e te faltou também, quero crer.

Quero acreditar que hoje sou o fruto do que semeaste. A minha resiliência e perseverança só existem porque cedo percebi como estava por conta própria.

A vida mostra-nos o caminho e temos que ter a habilidade de o ver e de nos mantermos na linha do que definimos para nós ainda que com curvas e contracurvas e esforço para encontrar novamente o trilho certo sempre que nos desviamos. Foi o que sempre me esforcei para fazer, ainda que muitas vezes o possa ter feito de modo egoísta, mas sentia que tinha que ser eu a olhar por mim pois ninguém mais o faria.

Chegou a hora de perdoar e seguir em frente, de perder a carapaça dura que fiz crescer à minha volta e que é muitas vezes intransponível.

Chegou a hora de ser feliz e viver sem angústias e vou acreditar que foste o melhor pai que soubeste ser, porque é assim que te quero recordar.

1 comentário

Comentar post