Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amazing days

"A vida é fascinante, só é preciso olha-la através das lentes corretas" (Alexandre Dumas)

Amazing days

"A vida é fascinante, só é preciso olha-la através das lentes corretas" (Alexandre Dumas)

14.Mai.18

Igualdade de género: realidade ou utopia

Beatriz LA
Muito se fala sobre conciliação entre a vida familiar e profissional. Há inclusive orientações do Governo para que as organizações implementem planos para a igualdade e incluam medidas que promovam a conciliação entre a vida familiar e profissional e o empoderamento das mulheres, atribuindo-lhes “cotas” para cargos de direção de topo. É inclusivamente um objetivo do desenvolvimento sustentável da ONU (ODS5).Mas na verdade, no quotidiano, o tema não é assim tão (...)
07.Mai.18

A maternidade está no ADN?

Beatriz LA
Ontem foi dia da Mãe! Dar á luz, seja de que forma for, é maravilhoso. A gravidez do primeiro filho é sempre uma grande ansiedade, as outras já nem tanto, que culmina num momento por vezes bastante doloroso mas igualmente prazeiroso de termos o nosso filho em nossos braços. Começam então outras angustias e outros medos. Serei boa mãe? Serei capaz de entender as suas necessidades? Estarei à altura deste papel tão importante? Pois penso que são duvidas que me acompanharão (...)
30.Abr.18

iEra

Beatriz LA
Vivemos numa época em que tudo começa por i. iPad , iPhone , iTunes... , ou pelo menos tudo o que a miudagem quer.  É a iEra! E nós pais que crescemos numa época em que nem computadores havia temos que nos adaptar. Comecei a mexer em computadores já na universidade, lembro-me que só um professor pedia os trabalhos desta forma e lá foi o fim dos gráficos em papel milimétrico. Aos poucos fomos evoluindo. Telemóvel? sim, mas só para fazer chamadas, com teclas, e enviar sms. (...)
26.Abr.18

25 de Abril, dia da liberdade e de dias bons

Beatriz LA
Ontem foi dia 25 de abril. Dia da Liberdade. Graças à coragem de muitos eu já não soube como foi viver em didatura, pelo que lhes estarei eternamente grata. Por mim e pelos meus. Mas por ter nascido em junho, logo após o fim da didatura, senti em alguns momentos que ela ainda estava presente nos meus primeiros anos. Lembro-me de o meu pai ainda não querer assumir publicamente algumas posições porque poderiam não ser benéficas, lembro-me do Sr. Professor Salvador que não sendo o (...)